sábado, 6 de novembro de 2010

"Midnight Express" - Alan Parker


Tensão, medo, ansiedade, insanidade, injustiça e... música eletrônica. Tudo junto e misturado. O filme de Alan Parker (Mississipi em Chamas, The Commitments - Loucos pela fama, A Vida de David Gale et all) de 1978 conta as agruras vividas pelo norte americano Billy Hayes (interpretação aluncinada do já falecido Brad Davis) preso na Turquia ao tentar embarcar com haxixe para os EUA. Não preciso me demorar pra dizer que ele desce ao pior dos infernos nos calabouços medievais da prisão turca. Condenado a 30 anos e sem direito a apelação, somos levados a declinar junto como o destino do Hayes no delírio da falta de esperança e loucura. Além de uma história imponente, cenas dramaticamente devastadoras como a revista de Hayes  na tentativa de embarque no início do filme, a visita que sua namorada lhe faz na prisão (pouca coisa me emociona mais, sempre calo e quase paro de respirar) e o espetacular desfecho com sua fuga, tornam-o um filme inesquecível. O assisti pela primeira vez numa Sessão de Gala ou Coruja num sábado qualquer da vida (coisas a muito extintas em tempos de TV a cabo), claro que meus pais não sabiam o que estavam acontecendo na sala naquele sábado a noite. Além do choque, por todo o drama, nunca mais saiu de minha cabeça as músicas do filme. Sua trilha hoje é bastante datada, admito, em grande parte por ter sido realmente espetacular a época e assim ter se tornado lugar comum em todo tipo de comercial de TV, vinhetas de rádio e noticiários (propagandas de motel e música de strip too). Porém, ouvida no contexto do filme assume a dignidade do tempo cedida por uma grande obra. Quem assina quase todas as faixas com excessão de Istanbul Blues é Giorgio Moroder. Vejam e ouçam, som estranho e filme tenso é isso ai!





Nenhum comentário:

Postar um comentário