segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Poesia 12: Era um Cara Qualquer

Gostei do "Don't try"!



Era Um Cara Qualquer


Já sabiam, não queria muita coisa
Pouco sabia do amor
E sua dislexia o impedia
De compor frases mais complexas
Coisas bestas
Sabia que não podia ter futuro nenhum
E por isso sobrevivia
Sem insistência
Parou um dia de pensar na vida
E desapareceu em meio a uma noite qualquer
Com uma última garrafa na mão
Menos mal
Sua vida era como a linha do meio-fio
Que sumia quando encontrava o bueiro
                                                              Vancarder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário