domingo, 9 de janeiro de 2011

Poesia 9: Corações de Pedra

                                                               Imagem do filme The Squid and the Whale



CORAÇÕES DE PEDRA


Corações de pedra sem
Suspiros frente ao passado
Ordens desfeitas quando
Menos por vontade
Algo se mexia e
Violentamente
Se dissolvia
Na tela de suas vidas

Menos verdades
Mais desejos, gostos apurados por nada
Num ímpeto, um salto até aqui
Pulando o passado
Revertendo os sentidos do presente
Acumulando votos de incertezas
Para o futuro

Negligências preferenciais
Formam corações de pedra
Os sorrisos mais intensos
Não remetem a nenhuma glória
Pobre imagem a que ficou
Um espelho frente a outro
E nenhum dos dois se vê

Sonho em preto e branco
O futuro acena finalmente
De través
Pelos cortes nas mãos e dos calos na vista
Do que não se vê
Do que não será jamais
Das coisas improváveis e inauditas
Palavras de amor esquecidas e desejadas
Em segredo

Corações de pedra e cimento
Desassossego em cinza
Pelo que se foi
Revolução silenciosa
Pelo que virá


                                                  Vancarder Brito

                                                     05/05/2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário