quinta-feira, 17 de março de 2011

Poesia 16: Dentro dos teus olhos


Van Gogh: Sun Flowers
Dentro dos teus Olhos

Quão fundo olhei dentro dos teus olhos
Pra encontrar uma imensidão de dobras,
Cores e sombras.
Amor, tu dissestes
De um tempo onde nada fazia sentido,
Que me querias.
E tua luz arrancou-me os olhos.
As órbitas vazias,
Alegrei-as com flores,
As mais vivas e coloridas.
Mas o tempo morde
Mesmo as flores desbotam.
Minha mente errática
A sua, indo.
E a liberdade virou um salto no vazio:
Às cegas, de costas pra tudo, pra cima, pra antes
Pra dentro
Em meio a um colorido de sombras, e sons de futuros incertos
Esgueirando-se da lembrança e de sentimentos
Arrancou-se toda a pele.
E assim, pulsante, em sua nova carne viva
Deitou suavemente sobre o corpo nu,
O sangue de que são feitas todas as cores
Do amor.

Vancarder

Nenhum comentário:

Postar um comentário