terça-feira, 31 de maio de 2011

O Elefante (Fausto Nilo e Robertinho do Recife)



E por falar em Fausto Nilo (ver post anterior)...
Quem assistiu a esse vídeo quando criança certamente vai sentir um arrepio. 
Execução de "O Elefante" por Robertinho do Recife, em inesquecível quadro dos Trapalhões.


"Como criança que vai viajar 
Acordei cedo e vi você sonhar...



...queria ter escrito isso, mas não sou Fausto Nilo rs


domingo, 29 de maio de 2011

Moby: Destroyed

Link para o novo disco de Moby, "Destroyed". 
Sou fã e por isso suspeito, digo logo que gostei. Mesmo frente a constatação de que algumas estruturas se repetem desde seus trabalhos mais antigos. Mas até assim o cara faz bem. 
Acho que funciona em lugares frios e finais de tarde dolentes de domingo.
Neste trabalho ele funde música, foto e livro. Vale a pena explorar o livro, há fotos dele de São Paulo e Coritiba, por exemplo. Objetivamente ele não vê as nossas cidades de uma maneira não muito diferente da nossa, mas ainda assim, muito particular pela sua leitura e experiência destas. Curioso isso. Perfeito pra quem gosta de relatos de viagem. E relatos de deslocamentos e estranhamentos frente a lugares e coisas. 
O bicho é insone e fotografa as cidades por onde passa pela madrugada a dentro.

Tudo pode ser acompanhado pelo site: Destroyed.

Enjoy it!

download: AQUI

Final de tarde blues...

E vamos nós pra mais uma semana! "Que a força esteja conosco!" (mais nerd, impossível)



quinta-feira, 26 de maio de 2011

Big-Brother Barack - BBB: quem será o próximo eliminado?

Geopolítica do "dono" da Casa.

Peguei no BLOG DO VADER


Ladytron ao vivo: White Elephant


Complementando o post anterior, Ladytron ao vivo em São Petersburgo. Afinal, ele tocam em São Petersburgo e não tocam em São Paulo, Rio ou João Pessoa?... O que eles têm que nós não temos?! rs




Surrender with me.
We're walking in our sleep,
And won't come around for you

Leave the story at the shore,
In case you thought it done.
Yesterday will ...

Now surrender with me.
'Cause we're walking in our sleep,
and won't come 'round.

Hey, put our pistols down,
Crawl along the ground.
Where we won't,

Won't be found.

Surrender with me.
And bring your violin,
Photographs and some black strings.
For when you're breaking stones,
the only things we know
Are tiger's eyes and lost things (?)

Now, surrender with me.
Cause we're walking in our sleep,
and won't come 'round.

Hey, put our pencils down,
And go back anekatips underground.
Where we won't,

won't be found.

instrumental break

Now, surrender with me.
Cause we're walking in our sleep,
and won't come round.

Hey, put our pistols down,
And crawl along the ground.
Where we won't,
where we won't,

won't be found

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Ladytron: Gravity the Seducer

Ladytron lançou recentemente dois singles do seu novo disco que virá a público em 13 de setembro.
É difícil parar de ouvir White Elephant, tente você em casa. Também muito linda Ace of Hz.
Segue o setlist de Gravity the Seducer:
White Elephant
Mirage
White Gold
Ace of Hz
Ritual
Moon Palace
Altitude Blues
Ambulances"
Melting Ice
Transparent Days
90 Degrees
Aces High



Fiquem com os delicados sons dos sonhos industriais do Ladytron:



segunda-feira, 23 de maio de 2011

E nesse exato momento acontece o último show de Paul McCartney no Brasil...


... E eu não fui ao show no Engenhão!
Difícil conviver com idéia que escolhi não ir e estou aqui preparando aula pra manhã a essa hora da noite!
Vou ter que me rebolar pra conseguir ver algum show do penúltimo Beatle em Londres antes que se aposente. Bem mais difícil agora.
Também é muito difícil escolher uma música específica pra postar que expresse as emoções associadas a tudo isso.
Como a vida é feita de arbítrio e sorte, fiz uma escolha e escolhas são sempre arriscadas. Posso facilmente não agradar.
Bem, Espero que gostem.
Lá vai:
Sempre me emociono ao ver esse vídeo de Get Back. Em seguida posto um vídeo de John Lennon, Jealous Guy.
Sei, sei, não é Paul cantando etc etc!
Mas pra mim, não existe um sem o outro. Então, vão os dois. E John cantando, mesmo tendo ouvido um zilhão de vezes... é quase uma experiência paranormal.

Dedico esse momento "let it be" aos antigos amigos queridos que estão longe. E aos de perto: os também antigos e os que recentemente chegaram pra ficar: "with a little help from my friends"...

Estou voltando pra preparar a aula. Coisa sem graça.

Por uma vida menos ordinária...

Curtam!



domingo, 22 de maio de 2011

Circular, Escola Técnica e um cartaz de Midnight Cowboy


Fortaleza, uns vinte anos atrás, ou um pouco mais. Passava no Circular em frente a uma locadora de vídeo que ficava logo ali, vizinha ao bosque do Hospital Militar na av. Desembargador Moreira. Sempre que passava por ela durante os anos que fui aluno da Escola Técnica, via um grande cartaz do filme Midnight Cowboy (1969) colado quase no centro da vitrine. Nele destacava-se a cena de John Voight em primeiro plano, no lado direito, com Dustin Hoffman quase como uma sombra, talvez a intenção da trama, mais discreto à esquerda.
Passava por lá dia após dia e por algum motivo, o cartaz me capturava o olhar, mesmo que por alguns segundos e pensava um algo qualquer que hoje não consigo mais precisar sobre aquela cena. E o ônibus seguia.
Os dias foram passando, meses e mesmos os anos e de repente, o tempo de Escola Técnica, também, e aquele cartaz de alguma forma enigmático, do filme que nunca assistira, foi-se amarelando, ou azulando, não sei bem, sou daltônico. E foi dessa forma, com o cartaz já furta-cor, pálido, que um dia a locadora fechou, e sem que visse, desapareceu assim, de uma hora para outra. Com o fim da era da locação de VHS e DVDs...
Nunca mais pensei sobre o tal cartaz ou de minhas passagens por aquele lugar nas maçantes viagens de Circular e das tantas coisas que acompanhavam meus pensamentos naquele momento. Sequer voltei a pensar no próprio filme que nunca assistira. Até que, por acaso, por esses dias, assistindo a MTV aqui em casa vi um quadro que se chama, “Não Tem Clipe, Mas é Legal!” e estava tocando exatamente a música tema do filme, Midnight Cowboy (John Barry). Pura memória auditiva de infância quando ouvia ao som de Paul Mauriat. Pathos instantâneo. Me vi naquele último banco do ônibus voltando da aula num final de noite quente, tipicamente fortalezense, parado no engarrafamento.
Vou baixar Midnight Cowboy...


Abaixo seguem as duas versões da música. Curtam! 
O domingo já era e tudo que podia ter acontecido já aconteceu, mesmo tendo ficado mais um pouquinho como sugere Tulipa Ruiz. 
Hora de ir.  


Boa semana a todos!



Novos Baianos - Preta Pretinha



Com gostinho de coisas alegres e um algo mais. Um irresistível pedido de bis depois da primeira execução. Para todos os momentos, sem contra indicações. Novos Baianos (Acabou Chorare - 1972): pra sair saltitando por ai com os amigos num domingo de Sol e praia. "Eu ia lhe chamar, enquanto corria a barca..."



PRETA PRETINHA
                                   
                                             Galvão - Moraes Moreira

Laiá Larará Lararará Larará
Preta, Preta, Pretinha!
Preta, Preta, Pretinha!
Preta, Preta, pretinha!
Preta, Preta, Pretinha!
Enquanto eu corria
Assim eu ía
Lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Lhe chamar!
Enquanto corria a barca...
Por minha cabeça não passava
Só! Somente Só!
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Só! Só! Somente Só!
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Só! Somente Só!
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Só! Só! Somente Só!
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser...
Eu ía lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Eu ía lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Eu ía lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Eu ía lhe chamar!
Enquanto corria a barca
Lhe chamar!
Enquanto corria a barca...
Abre a porta e a janela
E vem ver o sol nascer...(6x)
Eu sou um pássaro
Que vivo avoando
Vivo avoando
Sem nunca mais parar
Ai Ai! Ai Ai! Saudade
Não venha me matar
Ai Ai! Ai Ai! Saudade
Não venha me matar
Ai Ai! Saudade
Não venha me matar
Ai Ai! Ai Ai! Saudade
Não venha me matar...
Lhe chamar!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Ainda Tom Zé: declaração para Gal Costa

Declaração irresistível de Tom Zé a Gal Costa.
Queria ter sido eu a fazê-lo...
Fique indiferente. Se capaz.

Puro pathos.



Boa sexta!

TOM ZÉ EM JOÃO PESSOA: Movimento Antimanicomial



Tom Zé é um daqueles artistas difíceis de classificar nas estantes clássicas (e empoeiradas) da música popular brasileira. Nem tão pop, nem tão rock, nem tão bossa nova, nem tão samba, e tudo misturado e além... Sem ser Tropicália (pelo menos, mais). E por falar nesta, ele foi um dos de seus criadores e, ironia, esquecido quase que totalmente pelos antigos companheiros e radicalmente pela mídia brasileira. Também ironicamente, sai do ostracismo total pelas mãos do músico americano David Byrne (ex Talking Heads) nos anos 1990, possibilitando que seu talento viesse novamente à cena e conquistasse, sobretudo, as novas gerações ávidas por inventividade. Não acho o som de Tom Zé fácil, definitivamente. Muita coisa é difícil para tocar no rádio ou sair por ai assobiando. Mas certamente deve ser essa a graça de Tom Zé, revirar os sentidos ao avesso e liberar uma energia criativa, poética, melódica e crítica sem compromissos... e de alto refino em sua proposta de criar música de primeira, ávida a se libertar das imaginações trancafiadas em confortáveis lugares-comum. O que é difícil tem mais graça. E graça em Tom Zé é o que não falta!


SOBRE O SHOW:

Tom Zé cria show especial para apresentar em JP na sexta-feira


fonte: Portal Paraíba 1


O artista baiano Tom Zé volta a se apresentar em João Pessoa na sexta-feira (20), desta vez com um show criado especialmente para a Capital paraibana. O evento gratuito acontece a partir das 20h30 no Ponto de Cem Réis e faz parte da programação da I Semana Estadual da Luta Antimanicomial, promovida pela Prefeitura.
Antes de Tom Zé subir no palco, o público poderá conferir as apresentações de usuários do Centro de Acompanhamento Psico Sociais (Caps) e de Cabedelo. Em seguida, acontece o show da banda paraibana Evoé.
Como o próprio Tom Zé narrou em texto enviado exclusivamente para este show “o outono, nos outros lugares, é meio sombrio, mas no Nordeste e na Paraíba é plena alegria. Então eu vou pegar pesado nesse show”, empolga o artista.
No show, Tom Zé vai apresentar seu mais novo projeto. “E já que estou solto e posso participar da Luta Antimanicomial, vou subir no palco com toda a emoção para fazer um misto quente do set box ‘Estudos de Tom Zé: Tô Te Explicando Pra te Confundir’.
No palco também haverá um misto quente do set box misturado com ‘O Pirulito da Ciência’. “Quem não comparecer vai ser multado”, intima o público.
Repertório
Tom Zé garante a alegria e descontração do show, com composições como ‘Menina de Jesus’, ‘Feira de Santana’, ‘Tô’, ‘2001’ e ‘Abacaxi de Irará’. A banda é formada pelo paraibano Jarbas Mariz (viola e violão); Laulo Léllis (bateria), Cristina Carneiro (teclado); Felipe Alves (baixo) e Renato Léllis.
Evoé
A banda formada pelos músicos Fe Moreno (voz), Naná Rizzini (bateria), Celo Ferrara (guitarra), Portella (baixo e voz) e Bottura (guitarra, piano e teclados) surgiu na cena musical pessoense no inicio de 2006, com o objetivo de misturar em sua música, o rock com o groove de uma forma livre, colocando o estilo e personalidade de cada integrante nas músicas, almejando como resultado uma originalidade e atitude que diferem de outras bandas que estão no mercado cover.






quinta-feira, 12 de maio de 2011

FESTIVAL DERRAME 3


ALGO DIFERENTE PARA O FINAL DE SEMANA EM JOÃO PESSOA -
14 MAIO
COMO CHEGAR:
 

Preconceito contra nordestinos: outra Mayara Petruso?


OAB-CE diz que vai entrar com ação contra internauta que manifestou preconceito a nordestinos





A internauta Amanda Régis (@_AmandaRegis) se desculpou pelas mensagens que demonstravam preconceito contra nordestinos postadas em seu perfil no Twitter. As declarações foram publicadas durante a partida entre Ceará e Flamengo, na noite desta quarta-feira, 11.

 “Meu Deus, gente, agi por impulso por causa do Flamengo, não tenho nada contra nordestinos... desculpa aí galera. Jamais deveria ter feito isso. Agora vou assumir as consequências. Vou sumir daqui por um bom tempo”, disse Amanda no microblog.

O jogo entre Ceará e Flamengo, que acabou com o empate de 2 a 2 e classificou o Ceará para a semi-final da Copa do Brasil, causou polêmica no Twitter. Durante os momentos finais da partida, outros torcedores do Flamengo também publicaram na rede de microblogs comentários preconceituosos.

OAB-CE vai entrar com ação contra internautas

A Ordem dos Advogados do Brasil, secção Ceará (OAB-CE), vai entrar com ação no Ministério Público Federal (MPF), na tarde desta quinta-feira, 12, contra os internautas Amanda Régis e Lucian Farah (@lucianfarah77) por conta das mensagens. A informação é do presidente da OAB-CE, Valdedário Monteiro, também divulgadas no perfil dele no Twitter (@valdetario).
 
Segundo o presidente da OAB-CE, as denúncias que foram recebidas serão encaminhadas para o MPF. Ele destacou que, mesmo com pedidos de desculpas ou com as mensagens apagadas, os internautas cometeram crime de racismo que é imprescritível e inafiançável. “O internauta tem que perceber que o que ele escreve no mundo virtual tem a mesma dimensão no real. Em um país como o Brasil, o racismo é segregação”, disse Vadetário.
 
No Twitter 

A usuária que se identifica como Amanda Régis escreveu, no fim da noite de quarta, a frase: “Esse povinho falando do meu time, são tudo uns mal amados, invejosos!!!”, se remetendo aos torcedores do Ceará. A mesma usuária publicou, minutos depois, frases sobre a partida e sobre os nordestinos. “Esses nordestinos pardos, bugres, indios acham que tem moral, cambada de feios. Não é atoa que não gosto desse tipo de raça”, publicou na rede.

Outro torcedor do Flamengo, identificado como Lucian Farah, lançou no Twitter frases preconceituosas. “Só vim no Twitter falar o qnto os nordestinos é a desgraça do brasil..(sic)”, disse no microblog. 
 
Nesta manhã, por volta das 9h35min, Farah publicou pedidos de desculpas na rede e explicou os motivos dos tuítes. “Como brasileiro, TORÇO sim ! e quando torço, sou FANÁTICO ! e qdo sou fanático, eu xingo msm ! mas ontem me exaltei e fui alé disso ! qdo me referi aos nordestinos, queria me referir inteiramente ao time do ceara. e tenho CERTEZA que nao fui o unico a xingar os nordestinos (sic)”, disse.
 
Onda de preconceito

A usuária Amanda Régis foi identificada pelos seguidores do @opovoonline como a “nova” Mayara Petruso. Mayara ficou conhecida por ter tuitado palavras de preconceito sobre os nordestinos após a vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais contra José Serra, em outubro de 2010.

Por volta das 12h, a hashtag #orgulhodesernordestino era a expressão mais tuitada no Brasil, seguido por Parabéns Ceará e pelo nome de Amanda Régis. O nome da usuária também está entre os termos mais comentados do Twitter no mundo. 
 
Orgulho de ser nordestino

A hashtag #orgulhodesernordestino tem mostrado críticas e mensagens de apoio aos nordestinos e à região Nordeste. “Ariano Suassuna, ‘Não troco o meu oxente pelo Ok de ninguém.’ (sic)”, disse a usuária Angelica Alexandria (@angelalexandri4), de Fortaleza. 

A internauta que se identifica como Aline Gueiros (@alinepetrini) criticou a hashtag. “Já disse um trilhão de vezes que sou preconceituosa com nordestinos. (eu sei que isso não é bom) ô povo nojento até de boca fechada... (sic)”, tuitou.
Gabriela Ramos 

E A CARROÇA DESEMBESTADA AVANÇA: QUE VENHA O CORITIBA!


VOVÔ 2 X 2 URUBU

terça-feira, 10 de maio de 2011

LET'S ROCK? Fujiya & Miyagi




Banda inglesa que lembra o filme Karatê Kid no título. Começaram a tocar lá por 2000. Música eletrônica, batida rápidas e vocal susurrado fundindo um fundo hipnótico dos sequenciadores com um clima dançante. Lembra mesmo algo de japonês. O baixo bem marcado como em "Collarbone" dá aquela vontade fácil de acompanhar com o pé batendo no chão... Um eletro pop elegante.

Curtam!





segunda-feira, 9 de maio de 2011

Let's Rock? Caro Emerald


Ou, Caroline Esmeralda van der Leeuw. Holandesa de Amsterdã, porém, surpresa, morena! Ou poderia ser diferente tendo ela a voz que tem?
Jazz e blues soltos e dançantes, música alegre (às vezes triste, óbvio e necessário) que sugere um par pra dançar.
O disco? Esse dai da foto: "Deleted Scenes from the Cutting Room Floor" (2010). Não percam mais tempo sem ouvir, baixem o quanto antes.
E não deixem de tocá-la na sua próxima festa...


Por uma segunda feira mais musical!


Curtam!





domingo, 8 de maio de 2011

Vozão: a carroça desembestada!


Em clima de decisão do campeonato cearense entre Ceará e Guarani.
Uma força a mais pra "Carroça Desembestada".

QUE VENHA O FLAMENGO PRO PV NO DIA 11!

Fonte: O POVO

"Carroça desembestada" ganha destaque nas redes sociais"

"Carroça desembestada" é um trocadilho no mais puro 'cearês' para o "Bonde sem freio" dos torcedores do Flamengo.

Cartaz do torcedor do Ceará foi parar nos tópicos mais comentados do Twitter (Foto: REPRODUÇÃO)

A expressão "Carroça desembestada" é um dos termos mais citados do Twitter. Os usuários adotaram a expressão depois que um torcedor, com um cartaz trazendo os dizeres, ter sido filmado durante a transmissão do jogo entre Flamengo e Ceará na noite desta quinta-feira, 5, no estádio do Engenhão.

"Carroça desembestada" é um trocadilho no mais puro 'cearês' em resposta ao "Bonde sem freio" dos torcedores do Flamengo. Após a vitória do time cearense por 2 a 1 em cima do rubro-negros, o termo entrou para o trending topics mundial, ranking de palavras mais citadas pelos usuários. 
 
O alvinegro joga agora com a vantagem do empate no jogo de volta pela Copa do Brasil. Os dois times voltam a se enfrentar na quarta-feira, 11, no estádio Presidente Vargas.
 

quinta-feira, 5 de maio de 2011

ONDE SONHAM AS FORMIGAS VERDES (Where The Green Ants Dream) (1984)



Revi outro dia o filme Onde Sonham as Formigas Verdes (Wo Die Grunen Ameisen Traumen, 1984) do diretor alemão Werner Herzog. Apresentei-o para minha turma da disciplina de Antropologia Cultural na Universidade. Mesmo como atividade curricular e já sem a sensação de descoberta da primeira vez o filme me surpreendeu e emocionou. Sensação que acho, acontecerá sempre que vir o filmes de Herzog, seja Fitzcarraldo, Aguirre, Nosferatu, Kaspar Hauser... Bem, estou muito longe de ter visto todos os seus filmes, estes são apenas alguns dos mais vistos e comentados de sua vasta filmografia. Em parte também, a emoção se deu por estar mostrando-o pela primeira vez para um grupo de alunos em torno dos seus vinte e poucos anos, e que nunca ouviram falar de Herzog. Pela possibilidade das muitas apreensões de sentido que a experiência pode render, pelo menos, para alguns poucos. O que já é um alento.
Pra quem não o viu, Onde Sonham as Formigas Verdes, narra o envolvimento sob forma de choque, entre os interesses contrários de uma companhia mineradora e um grupo de aborígenes australianos. A empresa pretende escavar as terras tomadas por sagradas pelos nativos. Para estes, mais do que um ermo árido, estas terras seriam o “lar” das formigas verdes com suas centenas de formigueiros gigantes subterrâneos e local onde estas “sonhariam”, garantindo a permanência do mundo. Evidentemente, o cálculo frio e o pragmatismo programático moldados pela nossa razão se encontram longe de sensibilizar-se com a cosmonarrativa do mundo da qual as formigas verdes são parte fundamental.
Difícil não se render a uma lágrima pelo que nos tornamos, pela percepção da quase absoluta falta de meios para nos educarmos para a sensibilidade, para o outro, para as coisas do mundo que fazem alguma diferença, além de todo relógio, além de toda correria, de tudo que a última moda nos coloca referência sobre o mundo. Mundo este, árido, sem poesia.
Coisas que estão por ai a milhares de anos, a solidariedade, o sonho, a sensibilidade de ouvir o mundo. Se tomada como uma metáfora, o sonho das formigas verdes seria algum sonho não modelado por padrões sejam burgueses, consumistas, românticos, científicos e, porque não, religiosos. O sonho das formigas verdes estaria na aurora da humanidade, e guardaria algo de precioso que nossos sistemas de explicação do amor, da vida, das coisas, do além não seriam capazes de alcançar por absoluta falta de capacidade de sentir, menos do que controlar e explicar.
Acho que a lágrima pelo fim das formigas verdes é uma lágrima pela perda de um caminho que sequer sabermos mais se existiu. O sonho das formigas verdes fala sobre um tipo de amor, de doação, de paz. E sobre o como a humanidade perdeu-se calculando a velocidade do distanciamento das galáxias mais distantes no universo, motivo da conversa do geólogo Harckert Lance com um dos anciãos da tribo... _ pura besteira tudo isso! Disse este ao geólogo.
Estamos condenados a viver no Tempo que nós próprios criamos. É preciso correr, fazer coisas, pois a vida, inexoravelmente, passa e nada volta.