segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Let's Rock? Agora Só Falta Você - Rita Lee & Tutti Frutti (1976)

Rita Lee e Tutti Frutti

E porque a segunda feira sempre vem (e novo também - como diria Belchior em Como Nossos Pais). Começo o dia com um clássico, Agora Só Falta Você, Rita Lee & Tutti Frutti.
Acho essa fase de Rita Lee completamente negligenciada pela grande mídia e sobretudo pelos "descolados" moderninhos de hoje, tão ávidos de todas as mesmices indies que lotam o youtube. Todo mundo emulando alguém que se inspirou em alguém que, novinho ai pelo 20 anos, ficou fascinado pelo som daquela banda brasileira dos anos 1970 que ouviu numa coletânea organiza por... David Byrne.
Considero a poesia assaz direta, combinando com uma guitarra nervosa e uma bateria magistral (prestem mais atenção nos movimentos), é psicodelia e rock n'roll de primeira, apoteótico! E totalmente brazuca.

Adoro os clássicos, já disse isso aqui várias vezes. O são pela sua força de sempre dizer o que precisa ser dito na medida, "na gaveta", quase como crônicas ou instantâneos da alma humana. O dizem pra nosso deleite ou à revelia de nossa vontade, mas dizendo o que precisa ser dito porque da ordem do mundo. Outro dia conversei com um grande amigo e ele me disse: _ as histórias (em especial as de amor) são sempre as mesmas, temos apenas a ilusão de seu protagonismo. Acrescentei, que tendemos a sofrer sempre que ousamos discordar disso. O barquinho tem sempre que seguir a correnteza... "um belo dia vou lhe telefonar/ pra lhe dizer que aquele sonho cresceu..." E como diz o título do quarto disco de Lucas Santtana: "Sem nostalgia". Melhor assim!
Curtam!

2 comentários:

  1. Será que são sempre as mesmas histórias de amor? Tenho minhas dúvidas...ou não tenho dúvidas...

    Acredito sempre que buscamos novos temperos e que achamos um gosto peculiar e único algumas vezes.

    ResponderExcluir
  2. Meu (minha) Caro(a) Anonimo(a)

    Os temperos são os mesmos, nós apenas ainda não conhecíamos. Outros pessoas sim, desde que o mundo é mundo, por muitas eras. Mudam os nomes das músicas, os nomes das cidades e das pessoas... e a surpresa de quem vive, mas vivemos um ritornello do qual não temos a mínima noção. E seguimos. É o que diz o pessoal da NASA aqui de casa. Na verdade pode (e deve estar tudo errado). Volte sempre!

    ResponderExcluir