quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Calendário (conto)

Via: Naked Women Drinking Coffee

Acordou. Acarinhou o gato. Ainda de camisola foi à varanda e regou suas plantas. Só então escovou os dentes e olhou-se no espelho. Entre seus compridos cabelos de um sempre fiel castanho-escuro, agora lhe escapavam alguns rebeldes fios brancos. Sem jeito. Tomou um café preto forte. 
Olhou o calendário, lembrou-se que era seu aniversário. Ficou sem graça por tê-lo esquecido. Definitivamente não gostava de aniversários, em especial, do seu. 
Não havia mais tempo. 
Sem mais, enrolou uma echarpe vermelha no pescoço e foi trabalhar.
Se desse compraria uma garrafa de vinho na volta.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

domingo, 21 de setembro de 2014

Liberdade (conto)

Fonte: Insana_Mente, via: Violadreamlover

Nessa manhã de sábado, logo depois de levantar, se via no espelho e pensava o quanto tinha acertado em suas últimas e arriscadas escolhas.  Ela havia deixado para trás sua antiga vida há muito tempo. 
Hoje olhava para si mesma de forma diferente: Seu corpo, suas ideias, algumas imagens da noite anterior que passavam rápido em sua cabeça, seu desejo e a pele ardente, a maneira como se sentia em agitada mudança. 
As coisas que deixou de fazer e que lhe pareciam tão essenciais, as opções que lhe tiraram o sono, agora se perdiam frente ao arrepiar de seus pelos enquanto pensava no que poderia acontecer. Na imagem refletida curtiu seu novo cabelo curto. 
Por sobre o ombro olhou sua cama bagunçada e reparou nas roupas espalhadas pelo chão (formando um tipo de linha desde a porta) e o cara que conhecera no bar perto do seu novo trabalho. 
Ele dormia ainda. No lado esquerdo um dos braços e um pé despencavam pela beirada afora. Sentiu seus peitos emperdenidos. Tornou a deitar-se. Abraçou-o forte pelas costas e embriagou-se de sua própria liberdade.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Juan Carlos Carceres - Darsena Sur (versão eletro)

Darsena Sur - Buenos Aires

Pausa Para o Almoço (conto)

London: Lunch Time - A Time to Think (Source: HERE)

Era sexta feira. Depois de muito tempo, combinaram encontrar-se no intervalo do almoço. Trabalhavam no centro da cidade. Ela, secretária em um escritório de cobranças. Ele, assistente em um depósito de um grande magazine. 
Conheceram-se através de uma amiga em comum, uma prima dela, também em um almoço em restaurante barato pelo centro. Hoje se veriam em um mais arrumadinho, ambos conseguiram mais tempo e saíram ansiosos para o encontro. Ela falava sem parar. E ele controlava-se para não fixar seus olhos nos dela. Impossível não reparar que ela também o olhava, mesmo que muito rapidamente. 
A conversa sobre tudo na vida dos dois se passou em vinte minutos. Antes que tocassem na comida estavam se beijando. Tempos depois confessaram um para o outro terem temido que nunca parassem de falar, e que o beijo jamais ocorresse. 

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

De Cartas e de Suculentas (conto)

Foto: Katrina Stranger
Sábado, fim de tarde. Havia acabado de tomar banho, trajando apenas a toalha enrolada nos cabelos ainda molhados (coisas dela), arrumara parte da bagunça espalhada pela casa ao longo da semana. Depois café, um tablete de chocolate amargo e um cigarro. Sobre a mesa o bloco de rascunhos de arame com capa preta dura, caneta bic azul, além, à sua frente, um pequeno vaso de cerâmica com alguns pequenos cactos e brotos de suculentas. Ela chamava carinhosamente as suculentas de gulosas (ainda coisas dela). Olhava para o vasinho enquanto escrevia sua última carta para ele.