quinta-feira, 19 de novembro de 2015

sábado, 14 de novembro de 2015

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Nina Simone - Take Care of Business

Nina Simone

Para Futuras Histórias (conto)

Paul Almasy - Dancers

Não parecia tão tarde da noite, mas naquele momento a música já havia parado. Ela não sabia se sentia-se tonta pelo excesso de vodka, ou pelas voltas que deram lembrando antigas músicas da época em que se conheceram, mas via flashes de luzes coloridas quando fechava os olhos: vermelhas, brancas, amarelas.

Abriu os olhos, mas não conseguiu olhar para ele. Em um canto longe de todos, envoltos pelo silêncio, cada frase solta, cada pergunta desencontrada parecia mexer cada nervo do corpo. As falas e respostas dele a relaxavam e, ao mesmo tempo, a colocavam em um estado de alerta total. O perigo estava ali, no abrigo, no afago, no lugar em que estava, em sua teimosia poética de insistir em perder-se. No calor daquele abraço.


Seu coração já estava envelhecido, foi prematuro. O dele pulsava, pronto para tomar o Álamo, mas todos sabemos, este não caiu. De olhos bem abertos, sabiam, não falariam de amor. Ela não seria devorada por si mesma novamente e ele recolheria seus mortos. 

Desta noite guardariam apenas o silêncio como mote para futuras histórias.