domingo, 30 de abril de 2017

Belchior - Hora do Almoço




Se foi mais um herói, desapareceu para sempre Belchior. 
Não voltará para o tão esperado show de nossa redenção.
Partiu para sempre e encantou-se o D. Sebastião da arte que falava das veias abertas da realidade que a arte de outros escondia.
Ainda aprendo hoje a ouvir suas músicas como se deve. 
Toda a dor e lirismo contido no fato de que a vida passa e nada fica, na necessidade de cantar a condição humana ainda que tudo mais desmorone a cada dia.
Fica um engasgo, um nó na garganta do jeito do primeiro que sentiu na vida.


Um obrigado por tudo, Coração Selvagem.


"Deixemos de coisa e cuidemos da vida
Pois senão chega a morte ou coisa parecida
E nos arrasta, moço, sem ter visto a vida"




  

Nenhum comentário:

Postar um comentário