sexta-feira, 30 de setembro de 2011

POESIA 19: UM BOM DIA!

UM BOM DIA!

Hora de dizer-te bom dia
Procurar um lado da cama pra onde rolar
Qualquer um, desde que caia ao final
Dizer um bom dia pro sol sépia
E não mais pra você
Dizer-te de manchas no teto
Umidade, musgos
De dentes encardidos e hálito acre
Dizer-te:  bom dia meu amor.
Mesmo que pro vazio
No qual só coisas ridículas contam
Nem passado, nem futuro
Turvo, rápido, vil, tenso, velado
Escancarado no esforço de ser feliz
Cínico na lida de viver
Deprimido como esse bom dia
Sem mais flor do dia
Sem alegrias
Mas pleno
Nas coisas que deixei por fazer.

                                                         Vancarder.

PS: Um bom amigo me disse uma vez _ Você não sorri tanto assim.
      Acho que agora acredito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário